quinta-feira, julho 24, 2008

Tango

Lehgau-Z Qarvalho

Sentia-se em um bosque cinzento à margem da rodovia, a respirar cosmopolitices, entre a Avenida 9 de Julio e a Avenida Corrientes. Um vagão subterrâneo, metade carne, metade metal; menor que um átomo e mais comprido que um anel. E tinha a boca fechada e dois dedos em riste, como espadas sem pontas, um de cada lado; e se ocultava nas teclas e assassinava os sentimentos forasteiros e naufragava em suas elucubrações. E viera pelo ar em fumaça; nuvens de Posêidon em território de Zeus querendo ser Hades. E pensava estar destinado ao eterno termo etéreo em Palermo Viejo; comendo a terra; bem na linha divisória entre o Soho e Hollywood; à espera da serpente. E fora gerado lento pela fúria das paixões reprimidas; e transmutado em um Leviatã interior que ninguém, nem mesmo ele, jamais seria capaz de perceber.

4 comentários:

Grazzi em ContRo disse...

Um crime sem testemunha ocular tomando corpo..
humm..muito bom, quero Tóquio!/)

Linda Simone disse...

A tensão no ar dá quase para pegar com a mão, excelente!!
"E viera pelo ar em fumaça; nuvens de Posêidon em território de Zeus querendo ser Hades."
"E fora gerado lento pela fúria das paixões reprimidas; e transmutado em um Leviatã interior que ninguém, nem mesmo ele, jamais seria capaz de perceber."
Verdadeiros toques de mestre!
UiUi... :)
Beijo

Valentina disse...

E a suaaaaa elegânciaaaaa não teeeeem FIIM nãããoooo?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!
;))))))))))))))))))))))))))))))))))
Tomaraaaaa queee NÃÃÃOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Eu atééééé jááááá seeeei ondeeeee issooooo vaaaaai daaaaaaaaaar............................................hihihi......................................
BeijinBeijinBeijinsssssss!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ana Lucia disse...

Ouvi Vuelvo al Sur, de Gotan Project, prestei atenção, lembrei disso que escreveste, trouxe isso pra cá, parece contigo:

"Llevo el Sur,
como un destino del corazon,
soy del Sur,
como los aires del bandoneon.

Sueño el Sur,
inmensa luna, cielo al reves,
busco el Sur,
el tiempo abierto, y su despues."

Tu tiempo es siempre de la criaccion.